complicacoes-fiscais-black-friday

5 formas de evitar complicações fiscais durante a Black Friday

A Black Friday é um dia especial para o mercado, contudo, é fundamental estar preparado para evitar complicações fiscais. 

A Black Friday é um dia especial para o mercado. A data representa o momento que as marcas oferecem descontos surpreendentes aos clientes. É comum criar promoções e condições especiais de pagamento, contudo, é fundamental estar preparado para evitar complicações fiscais. 

A emissão de notas fiscais é um ponto que merece atenção nessas horas. Tenha em mente que, quanto maior for o seu volume de vendas, maior será o número de notas fiscais emitidas. 

Nessas horas, alguns empreendedores enfrentam dificuldades com a geração manual das notas. Em outros casos, há confusão com os diferentes tipos de notas fiscais ou com o valor a ser informado no documento.

De qualquer forma, você deve estar preparado para fugir desses problemas. Leia este texto e entenda mais sobre o assunto. 

1. Ter um contador parceiro

Antes de tomar qualquer atitude, saiba que é essencial ter um contador parceiro em seu negócio. O profissional tem o conhecimento necessário para dominar as questões fiscais, contábeis e tributárias de uma gestão. 

No início de sua jornada, você pode até achar que dá conta de tudo sozinho. Porém, com o passar do tempo, dúvidas surgem e uma escolha equivocada, como a definição errada de uma alíquota de um imposto, colocam em risco a legalidade do seu negócio. 

Não pense que o contador auxilia apenas a declaração de imposto de renda. Na verdade, o contabilista deve ser enxergado como um consultor financeiro de sua empresa e, claro, fugir das complicações fiscais na Black Friday. 

2. Conhecer os tipos de notas fiscais

Existem diferentes notas fiscais. Cada uma tem diferentes características e exigências. E, como as siglas são parecidas, é comum se confundir. Contudo, você entenderá de uma vez por todas os três principais modelos:

2.1. Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e)

Como o seu próprio nome diz, a NFS-e é emitida quando há uma prestação de serviço. Academias, oficinas, escolas e faculdades são empreendimentos que trabalham com a NFS-e. 

Produtores digitais também devem gerar a NFS-e para cada uma de suas vendas. Sim, cursos online, ebooks e seminários online são considerados como serviços. 

É uma nota municipal, ou seja, é autorizada pela prefeitura da cidade do seu empreendimento. Isso faz com que a NFS-e tenha inúmeras variações em todo o Brasil, pois existem 5.570 cidades em nosso país. 

Portanto, você precisa ter cuidado para entender as exigências de sua prefeitura, e o contador desempenha um papel fundamental nessas horas. 

2.2. Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)

A NFCe está sendo substituindo o cupom fiscal no Brasil. É a nota que representa o varejo, sendo emitida por farmácias, padarias e supermercados, por exemplo. 

A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é regulamentada pelas Unidades Federativas brasileiras. Isso quer dizer que existem menos mudanças nas determinações de cada estado. 

Mas, mesmo assim, há diferenças que mudam a emissão de NFCe. O Estado de São Paulo, por exemplo, exige a utilização de um equipamento físico para a emissão do documento, o SAT Fiscal.

2.3. Nota Fiscal de Produto Eletrônica (NF-e)

Por último, mas não menos importante, a NF-e é gerada na venda de produtos físicos. E-commerces de diferentes setores e portes enviam a Nota Fiscal de Produto Eletrônica aos seus clientes. 

Na próxima vez que você comprar uma mercadoria pela internet, repare que há um plástico com uma folha ao lado de fora da caixa. Esta é a NF-e!

3. Guardar as notas fiscais corretamente

Outra questão que causa confusão em muitas empresas. Indo direto ao ponto: você deve guardar as suas notas fiscais por, pelo menos, 5 anos.

Essa é uma obrigação, pois o Fisco pode solicitar os documentos em uma conferência. Se você não se precaver, multas e outras dores de cabeça podem atrapalhar a sua vida no futuro. 

O documento a ser guardado é o XML, e não o PDF, que também é chamado de Danfe (Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica). 

Então, fique atento, ok?

4. Gerar a nota fiscal com o valor certo

Na Black Friday e em outras datas comemorativas, é normal oferecer descontos. A estratégia é bem-vista pelo mercado e atrai mais clientes. 

Nesses casos, o valor financeiro informado na nota fiscal deve ser aquele que você recebe. Ficou confuso? Entenda com o exemplo abaixo:

Um empreendedor utiliza a mensagem direta (Direct) para vender um livro a R$ 40,00. Durante a Black Friday, o produto é ofertado com um desconto imperdível a R$ 25,00. Dessa forma, a nota fiscal deverá ter o valor de R$ 25,00, e não R$ 40,00.

E o que fazer com a taxa do cartão de crédito: acrescentar ou não na nota?

Pois bem, você recebe esse valor, a nota fiscal deve considerar o preço do produto mais a taxa. Quando é a operadora de cartão que fica com a taxa, você não deve acrescentá-la ao valor da nota. 

5. Emitir notas fiscais automaticamente

A emissão manual de nota fiscal pode fazer sentido no começo. Mas, quando as vendas chegam em suas primeiras centenas, diversos problemas surgem. Inicialmente, será necessário digitar todas as informações de cada venda, como o CNPJ, o endereço e o valor da mercadoria ou do serviço. 

Caso você cometa algum erro de digitação, a nota não será emitida. Pense no retrabalho gerado nesses casos. Provavelmente, você não quer perder tempo com isso, né?

Outra questão está relacionada ao envio da nota para os clientes. Se você tem apenas 10 vendas em um mês, é fácil mandar as notas por conta própria. Mas, ao escalar o negócio, você enfrentará dificuldades com isso. 

Desse modo, você deve escolher um emissor de nota fiscal adequado às necessidades do seu negócio. Fique com aquele que tem integração com as principais plataformas EAD e meios de pagamento do mercado, como o PagSeguro e o Paypal

Com a leitura deste post, você entendeu 5 formas de evitar complicações fiscais durante a Black Friday. Apesar do grande volume de vendas, é essencial estar pronto para respeitar as leis brasileiras e manter o negócio legalizado. 

Em todos os casos, sempre busque a ajuda de um contador e emita o tipo de nota fiscal correto. 

Agora, que tal entender mais sobre um assunto que pode render uma grana extra para o seu negócio. Alguns estados e municípios têm programas de descontos e de bônus a partir da emissão de nota fiscal. Ficou curioso? Então, descubra a importância de colocar o CPF na nota!

Share this post

Powered by Bume.